segunda-feira, 28 de junho de 2010

Serenidade

Domingo, um friozão de rachar, e eu na frente de uma lancheria, esperando meus lanches ficarem prontos.
Apenas eu na calçada. Aproximou-se de mim então um morador de rua:
 - E aí, treta ! (estendendo a mão para me cumprimentar).
 - E aí. (Respondi eu, apertando a mão do cidadão).
 - Tche, tu tomou droga ? (Perguntou o mendigo)
 - Não. Não sou dessas coisas. (Respondi)
 -Ah tá. Não... é que eu vi tu aí sentado, sereno...

 É o magnetismo cada vez mais magnético.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Sonhos do Éd #5

Por causa desse sonho, fiquei com medo de comer presunto. Tive que comprar o fiambre da Sadia hoje.
No sonho, estava de serviço eu e um colega meu, na cidade de Porto Alegre. Fomos atender uma ocorrência, se não me engano, de uma casa mal-assombrada (!). O meu colega disse que o fato era na Duque, esquina com a Duque (No sonho, era a Duque de Caxias de Uruguaiana com a Duque de Caxias de Porto Alegre).
Lá chegando, a casa mal-assombrada era o Colégio Oswaldo Aranha, de Alegrete. Mas continuávamos em POA. Avisto então uma conhecida (dos tempos em que eu trabalhava na escola Gen. Osório), dentro do pátio do colégio, caminhando em nossa direção. Penso então comigo: "Vou comer essa louca". E me aproximo. À medida que me aproximo, ela vai diminuindo de tamanho, até chegar ao tamanho de um Comandos em Ação.
Foi então que eu visualizei um pedaço de uma nota de R$ 20 pra fora de um de um formigueiro. Pego a nota (sinto ela úmida e macia, talvez até mofada), e ela então é puxada para dentro do formigueiro, seguida de uma voz que diz algo como " Tu achou que iria ganhar esses 20 pila ?". Ao lado do formigueiro, sai uma gosma de um buraco (a gosma era como se uma lesma fosse esmagada).
Concluo então, na hora, que o local não é mal-assombrado, e sim dominado por alienígenas. Imediatamente, meu colega puxa um aparelho pra ver com que tipo de alienígena que estamos lidando. Ele analisa meu dedo (que tocou na nota). O aparelho usado é um tubo de Almeida Prado. Ele conclui, enfático : " É bicha."
No sonho, lembro do filme MIB, em que os alienígenas do mal são "Insetos". Penso então que os alienígenas "Bichas" (associei com vermes) são bem do mal também.
Aí então começo uma série de indagações ao colega, perguntado se eu estava contamindo pelos alienígenas, se iria virar bicha ou o que...
Aí eu acordei.
Ao meio-dia, tentei almoçar sanduíche de presunto e não consegui.

domingo, 20 de junho de 2010

No Stress

Eu não me estresso mais. Não dá pra levar a vida muito a sério.
No momento em que escrevo estas linhas, conto com 25 anos de vida. E já faz algum tempo que noto, vez que outra, alguns fios de cabelos brancos em minha cabeça. Me considero novo para começar a ser grisalho, porém alguns estresses durante esses anos todos me causaram isto.
Analisando tal fato, resolvi levar uma vida mais zen. Eu que sempre fui contra a escravidão do consumo, me peguei esses dias preocupado com contas e novas aquisições.
Decidi então tomar mais chás e meditar um pouco, além de fazer o que estiver ao meu alcance para diminuir o sofrimento da humanidade.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sonhos do Éd #4 - A Mulher que não tinha cú

Hoje, sonhei que iria manter relações sexuais com uma mulher que não possuía ânus. Acordei instantes antes da penetração.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Reflexão

Escrevi este texto originalmente em 24/08/2009. Hoje, apenas acrescentei a palavra "mulheres", ao citar algumas coisas boas da vida. Segue o texto: O mundo não é um lugar seguro. É tão fácil estabelcer o caos em nossas vidas ! Basta uma perda, uma demissão, uma morte... E muita coisa vai por água abaixo.
Tudo isso porque nos apegamos demais à coisas impermanentes, damos um valor descabido à coisas que irão passar. E quando elas passam, nos frustramos.
Muitas pessoas planejam suas vidas levando em conta apenas o aspecto financeiro. Deixam de fazer o que realmente gostam para muitas vezes fazerem algo que detestam, apenas para ganhar um pouco mais de grana. Não que o aspecto monetário não seja importante. Ele é muito importante, eu bem sei disso. É muito legal ter carro, dinheiro, mulheres... Mas muitas pessoas deixam de servirem-se do dinheiro para servir ao dinheiro.
Não pretendo dar uma de "desapegado dos bens materiais" com este texto. Desejo apenas, de uma forma despretensiosa, demonstrar como fica fácil nossa vida desmoronar quando "apostamos todas as nossas fichas" em coisas passageiras, seja dinheiro, amor, profissão ou até mesmo um sonho.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Sonhos do Éd #3

Hoje sonhei que eu estava em um desenho no estilo "Dragon Ball". Eu estava em uma arena de lutas de cachorros, que nada mais era do que uma quadra de futebol society.

Lá nessa arena, iria lutar um cachorro muito temido por todos. O cachorro do general (não lembro de terem citado o nome dele no sonho). Esse general era a maior autoridade militar presente no evento. E era também um cachorro, meio parecido com o cachorro dos Simpsons, o Ajudante do Papai Noel. Só que ele era menorzinho. Ao vê-lo, ainda perguntei "Isso é o general ?" para uma pessoa que estava à minha esquerda, comentário esse que foi ouvido pelo general-cachorro. Ele só me olhou. Talvez eu vá responder um PAD por isso.

O cachorro do general iria lutar contra três outros cachorros. Para comçar a luta, foram jogados "tentáculos" (esse foi o termo usado pelo general) na quadra-arena para atiçar os cães. Os 3 caninos desafiantes pegam os tentáculos, rosnando, e se posicionam em triângulo, frente a um impassível cachorro do general.

Quando o clima estava bastante tenso, levanta-se uma rede que estava no piso da quadra-ringue e captura os cães, os tentáculos, o general e quase apanha tb este que vos escreve. Em uma fração de segundo, policiais que surgem do nada dão voz de prisão à todos os capturados, mesmo diante dos protestos do genral, que a essa altura já não era mais um cachorro, era já um humano. Neste ponto, eu me acordei.
Interessante frisar que o sonho só era desenho tipo Dragon Ball quando a câmera focava nos cachorros. E o foi só até a Polícia entrar em ação.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Mais anotações antigas

Na mesma folha do post passado, tem uma frase escrita por mim:
"Impermanência
Dinheiro é impermanente. Tudo é impermanente. Ou não !"
Nesta frase, tem uma flechinha indicando para "provisório (casa)". É uma clara alusão à minha residência na época. Ainda de acordo com as anotações, eu precisava de internet em casa.
Ainda no mesmo papel, há uns versinhos sobre peidar no banheiro, onde eu me queixava que não podia fazer isso porque infestava a casa toda. Não era meu peido que era fedorento, mas sim a casa que era muito pequena.
Na verdade não era casa. Era um quarto de hotel, entulhado de coisas (inúteis, em sua maioria).
Hoje, moro em um apezinho pequeno, com internet [ :) ]. Posso peidar no banheiro ou no meu quarto, que não infesta outras peças. É bom olhar pra trás e ver esses obstáculos vencidos. Nos dá mais força para enfrentar os obstáculos vindouros.
Aproveito então, neste momento Maguila, para agradecer à Deus, se ele relamente existe, e todas as pessoas que me ajudaram de uma forma ou de outra nesses momentos (e em todos os outros) difíceis que tive ao longo dessa longa jornada à qual chamamos de vida.
E agora, a pergunta: Daqui a um ano, o que acharei eu das anotações de agora ?

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Anotações antigas

Eu estava escrevendo um texto para publicar aqui mesmo, quando dei de cara com algumas anotações do dia 07/07/2009. Exatos 11 meses atrás. Uma das anotações era das 22:50. No momento que escrevo estas linhas, são 22:53. Aí vai um rascunho de post que escrevi na época:
"Ao contrário das minhas perspectivas, consegui ser aprovado em todas as cadeiras na faculdade. Com isso, terminei o VII nível, restando-me apenas 1 cadeira para concluir o curso superior.
A partir de agora, portanto, terei mais tempo para estudar, porque não vou mais precisar perder tempo indo na aula todos os dias.
Pretendo começar a escrever no blog novamente, além de fazer algumas leituras interessantes (para mim!)."
Esse texto não foi publicado na época. Eu estava sem internet em casa. Entre outras coisas que me deixavam insatisfeito na época.
Esse texto é também uma pequena crítica ao sistema presencial de ensino, o qual eu várias vezes critiquei em conversas informais.
E eu ainda não me formei :(

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Sonhos do Éd #2

Há algum tempo atrás, eu tinha uns 5 ou 6 anos e estava em São Borja, na casa da minha avó. Eu almocei e depois deitei no sofá da sala para cochilar um pouquinho. Tive então um dos sonhos mais marcantes de todos os tempos.
Eu sonhei que estava andando sozinho (provavelmente de ônibus, talvez um carro) por uma cidade parecida com Porto Alegre. Era grande, a cidade. De repente, eu já estava em uma localidade parecida com São Borja. Então o veículo que eu estava começou a fazer umas curvas, e de repente eu estava em uma cidade, começando um deserto. Avisto pirâmides. E de repente, uma esfinge (de lado).
A "câmera do sonho" então se move como naqueles jogos de corrida em que a visão é por trás do carro, e quando termina a fase, a câmera vem pra lateral. Estou na frente da esfinge, e pra meu espanto, o rosto dela é o rosto de Jesus. Sorrindo. Vivo. Ele então me olhou, sorriu para mim e o ápice de todo o sonho:
Jesus piscou o olho pra mim !