domingo, 17 de junho de 2012

Filmes que o Éd assistiu #1 - Falcão, O Campeão dos Campeões

Assisti recentemente o filme Over the Top (Falcão, O Campeão dos Campeões). Há alguns anos que eu não assistia o filme, que seguramente é um dos meus favoritos. As análises contidas aqui levam em consideração a versão dublada, pois os diálogos originais são um pouquinho diferentes, embora tenham em essência o mesmo significado

O filme é basicamente, uma metáfora da vida. O filho criado a leite-com-pera (Michael) e o pai ausente que o abandonara anos antes (Lincoln Falcão, ou Lincoln Hawk no original), numa jornada de aprendizado. O homem forjado pelas dificuldades da vida e o garotinho arrogante que acha que já sabe tudo.

Interessante notar que a mãe de Mike (prevendo que iria morrer) pediu para Falcão levá-lo até a residência onde o garoto mora, que dista 2 ou 3 dias viajando de caminhão, e que também ficasse com  a guarda dele. Isto nos leva a crer que ela gostaria que seu filho tomasse jeito de homem, combatendo as frescuras que o mesmo adquiriu com anos de criação à base de Ovomaltino. 

Para isso, ninguém melhor que o seu pai, um homem que vivia no mundo "lá fora", longe dos muros da mansão de Cutler, o avô milionário do garotinho. A cena do garotinho soltando a franga ensandecidamente quando descobre que seu pai mandava cartas (que Cutler escondia) é um dos primeiros "choques de realidade", onde ele passa a ver que o seu pai não é o monstro que o seu avô pintava. Ato contínuo a isto, quando o filho conversa pelo telefone com sua mãe, a mesma diz que  "é importante" o garoto ter esta viagem com o pai, e que "há coisas que você ainda não viu, filho", deixando claro que o filho precisava enxergar que o mundo era maior que a mansão de Cutler e que o Colégio Militar onde ele estudava.

Outro ponto do filme é que não fica revelado o porquê de Falcão ter abandonado esposa e filho. Quanto a isto, Christina apenas diz que Lincoln teve seus motivos.

O aprendizado é uma via de mão-dupla. O menino disse que há coisas mais importantes que músculos, o que está absolutamente certo. Porém, o mesmo considera o seu pai, pelo fato de ser um lutador (de luta de braço) e caminhoneiro, um completo ignorante. A cena do guri dirigindo o caminhão mostra que dirigir um caminhão não é algo exclusivo para ignorantes, mas uma atividade que também tem as suas complexidades.

O divisor de águas do filme, que eu considero o ponto alto da película, é após a luta-de-braço de Mike (uma melhor de 3) em que ele perde a primeira e sai soltando a franguinha e chorando. Hawk vai atrás dele e lhe dá algumas recomendações para a vida, dizendo para o seu rebento que ele era uma criança rica e estragada, que sempre teve o que quis na mão. O momento era de fazer por si mesmo, reforça. Na versão dublada ,a frase clássica "O mundo não para de girar. Se você quer, tem que pegar", no original é algo parecido com "O mundo não dá nada pra ninguém". Ante o medo ainda persistente do piá, o personagem de Sly arremata dizendo que se ele perdesse, que perdesse como um vencedor e se não fosse, iria se arrepender pelo resto da vida.

Essa cena demonstra que a semente plantada por Falcão estava a ponto de germinar e o garoto estava quase pronto para amadurecer, tanto que após isso, eles descobrem que Christina morreu, o que no filme representa o início do amadurecimento do playboyzinho.

Para mim, o filme poderia terminar depois que mike volta e vence as duas restantes (e ainda ganha uma graninha), o resto do filme é apenas a complementação da história desenvolvida e um pouco de ação.