sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Sonhos do Éd #20 - Fuga misteriosa em São Borja

Hoje estava eu e o meu irmão (o mais velho) fugindo de dois caras,que queriam pegar dois papéis que estavam de nossa posse (mais exatamente comigo, dentro de um saquinho). Fugíamos através de terrenos baldios na quadra da casa da minha avó, lá em São Borja. Pulávamos muros e cercas fugindo dos caras.

Em determinado pátio, meu irmão entra no sótão (?) (isso mesmo, não tinha casa, era tipo uma janelinha para sótão que ficava no ar, com uma escadinha pronta para facilitar o acesso) e me chama desesperadamente para entrar lá também. Como eu já havia passado e corria em uma boa velocidade, não quis voltar (melhor separar para despistar), ao que ele me disse que os caras iriam me achar onde quer que eu me escondesse, e que deixasse os papéis escondidos em outro lugar.

Ganhei uma boa vantagem sobre os dois caras (que na verdade eu não via, apenas sentia a perseguição dos mesmos) pulando alguns muros e cercas a mais. Ainda pensei em esconder o saquinho com os dois papéis em um monte de terra, mas acabei mudando de idéia. Quando cheguei do outro lado da quadra, me escondi numa água verde de valeta, sob uns arbustos secos (submerso na água). Cumpriu-se a profecia do primogênito da minha mãe: os caras me acharam. E pediram os papéis. Eu disse que entregaria, mas queria saber o porquê de tanto desespero por esses papéis. Um dos papéis era um xerox de um diploma de curso superior em História, de 1400 e pouco (1483, se não me engano). Um dos caras (o único que apareceu no sonho) confessa então que eles eram maçons que existiam desde a criação do mundo, e começam a passar cenas da sua vida em diversos momentos, desde o início dos tempos. Neste momento eu entendi que o diploma seria uma prova de que o formado teria no mínimo uns 500 anos de idade, e ele naturalmente queria negar o acesso do grande público a essa informação.

Depois disso eu acordei.

Nenhum comentário: